Proteína C reativa ultra sensível (pcrus) e circunferência da cintura (cc) em idosos: avaliação do risco cardiovascular

Volume 1, edição anual - 2012

 


Proposição de resumo para a

III Jornada de Estudos e III Semana Acadêmica do Curso de Nutrição

 

TITULO: PROTEÍNA C REATIVA ULTRA SENSÍVEL(PCRus)  E CIRCUNFERÊNCIA DA CINTURA (CC) EM IDOSOS: AVALIAÇÃO DO RISCO CARDIOVASCULAR

 

Autor(es): Carlot, J.M.¹; Kohler, J.¹; Gopinger, E.¹;  Tambara, T.2;  Kirchner, R.M.3, Dallepiane, L.B.4

Instituição: ¹ Curso de Nutrição UFSM/CESNORS – Bolsistas PIVIC; ² Nutricionista UFSM,  3Curso  de Biologia UFSM/CESNORS – Docente, 4 Curso de Nutrição UFSM/CESNORS –Docente.

Palavras chave: Nutrição, PCRus, Circunferência da cintura, Risco cardiovascular.

 

RESUMO

 

OBJETIVO:    Comparar o risco cardiovascular pela circunferência da cintura e proteína C reativa ultra sensível em idosos. METODOLOGIA: Quantitativa, descritiva e transversal com idosos de Palmeira das Missões / RS, ambos os sexos, selecionados ao acaso e amostra de 51 idosos calculada segundo Barbetta (2007) considerando margem de erro de 14%. As variáveis analisadas foram:a)Sóciodemográficas;  b) Circunferência da cintura (CC): medida no ponto médio entre a última costela e crista ilíaca. Considerado como valores preditivos de riscos quando  ³ 102 cm para homens e ³ 88 cm para mulheres; c) bioquímica: PCR-us - Proteína C Reativa ultra sensível. O ponto de corte é de 0,3 mg/dL.Todos os participantes cumpriram jejum de 12 horas antes da coleta sanguínea. Os dados foram analisados no software Statistic. A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética da UFSM e os participantes assinaram um Termo de consentimento Livre e Esclarecido. RESULTADOS: Dos 51 idosos, 58,8% era do sexo feminino e 41,2% do sexo masculino. A idade predominou entre 65 a 69 anos (49%), casados (66,7%), com 1 a 4 anos de estudo (62,7%) e renda mensal entre 1 a 2 salários mínimos (74,5%). A avaliação realizada da CC indicou que 45,1% dos idosos apresentaram valores elevados, considerados como risco cardiovascular. Também, em relação ao exame bioquímico de PCRus 54,9% tinha o mesmo indicativo. Quando foi feito a comparação (cruzamento) entre a circunferência abdominal e a PCRus os dados indicaram que 31,8 % dos idosos  que estavam com a CC acima do recomendado, também estavam com a PCRus elevada, configurando risco cardiovascular. CONCLUSÃO: A maioria dos idosos estavam com a CC e PCRus elevadas. Quando as duas variáveis foram associadas, observou-se que aqueles que estavam com a CC elevada eram os mesmos que estavam com a PCRus elevados.