Avaliação e adequação dos requisitos de controle de qualidade de duas instituições do município de Palmeira das Missões/RS

Volume 1, edição anual - 2012

 


 

 Proposição de resumo para a

 

 

III Jornada de Estudos e III Semana Acadêmica do Curso de Nutrição

 

 

 

TITULO: AVALIAÇÃO E ADEQUAÇÃO DOS REQUISITOS DE CONTROLE DE QUALIDADE DE DUAS INSTITUIÇÕES DO MUNICÍPIO DE PALMEIRA DAS MISSÕES/RS

 

Autor(es): Cocco, M.L.¹; Ceolin, J.¹; Matiazzi, C.¹; Ferigollo, A.; Bohrer, C.T. 2;  Dallepiane, L.B.2

 

            Instituição: ¹ Curso de Nutrição UFSM/CESNORS; -Acadêmica; ² Curso de Nutrição UFSM/CESNORS –Docente.

 

Palavras chave: Manual de boas práticas, Controle de qualidade, Instituições caritativas

 

 

 

RESUMO

A qualidade higiênico-sanitária, como fator segurança alimentar tem sido amplamente estudada e discutida, uma vez que as doenças vinculadas por alimentos são um dos principais fatores que contribuem para os índices de morbidade nos países da América Latina (SACCOL, 2007). Com o objetivo de melhorar as condições higiênico-sanitárias dos estabelecimentos relacionados à área de alimentos, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária pela RDC nº 275 (2002) lançou a Lista de Verificação das Boas Práticas de Fabricação em Estabelecimentos Produtores/Industrializadores de Alimentos. Posteriormente, com o objetivo de atender às especificidades dos serviços de   alimentação, a Lista de Avaliação para Boas Práticas em Serviços de Alimentação (LABPSA) foi proposta (SACCOL, et al., 2006). Utilizando-se desta ferramenta de diagnóstico, este trabalho objetivou analisar os requisitos de boas práticas em duas instituições de caridade (A e B) de Palmeira das Missões-RS, visando a posterior adequação e implantação do Manual de Boas Práticas e capacitação dos colaboradores dos dois locais. Sendo que a instituição A não possui o Manual de Boas Práticas, nem responsável técnico e B possui ambos. A análise de dados possibilitou a comparação entre as duas instituições. Os resultados foram muito próximos aos esperados, já que os percentuais de adequação em relação aos requisitos de controle de qualidade encontrados nas instituições A e B foram de 39% e 79% respectivamente. Finalmente, os resultados evidenciam a necessidade de implementação do manual de boas práticas na instituição A e adequar o já existente na instituição B, para que se assegure a qualidade higiênico-sanitária das refeições ofertadas. Contudo, é fundamental que para o sucesso dessas ações, deve-se capacitar os colaboradores e que seja realizada nova reavaliação dos locais, para que se comprove os avanços e a adequação do manual de boas práticas.