Relato das gestantes na precariedade de atendimento nutricional no centro de saúde da mulher no noroeste do Rio Grande do Sul.

Volume 1, edição anual - 2012

 

 

 

 


 Proposição de resumo para a

III Jornada de Estudos e III Semana Acadêmica do Curso de Nutrição

TITULO: RELATO DAS GESTANTES NA PRECARIEDADE DE ATENDIMENTO NUTRICIONAL NO CENTRO DE SAÚDE DA MULHER NO NOROESTE DO RIO GRANDE DO SUL

Autores: Kolling, J.¹; Wehrmann, D.¹; Fagundes, T. S.¹; Kretschmer, A.¹; Souza, L. S.¹

Instituição: ¹ Curso de Nutrição UFSM/CESNORS

Palavras chave: pré- natal nutricional, nutrição materna, saúde materno- infantil.

RESUMO

A literatura aponta precariedade entre os serviços da atenção primária nutricional. Observam-se deficiências na estrutura e no processo nas unidades de saúde da família, dimensão correta da equipe mínima, do treinamento desta equipe e da implantação dos Núcleos de Apoio à Saúde da Família, na ampliação da abrangência e da integralidade da assistência pré-natal. Nesse sentido, este trabalho objetivou fornecer às gestantes um espaço de discussão sobre dúvidas nutricionais e a expressão de suas vivências com os alunos do curso de Nutrição, possibilitando identificar as dúvidas mais frequentes para basear ações estratégicas. O caminho metodológico adotado compreendeu atividades nutricionais, que ocorreram em intervalos quinzenais com novas participantes. As atividades exploraram assuntos sobre alimentação na gestação e aleitamento materno. Proporcionou-se espaço para relatos pessoais e familiares e consequentemente a construção do conhecimento pelas discussões obtidas. O presente projeto foi aprovado pela CEPEX/UFSM. Dentre os resultados alcançados destacam-se a desinibição do grupo para questionamentos e relatos, que impactaram-se para a real importância dos hábitos alimentares durante a gestação para a saúde materna, fetal e períodos de vida mais tardios dos bebês. Foram relatadas inadequações nutricionais: consumo excessivo de açúcares e gorduras, número de refeições/dia insuficientes, omissão de desjejum, baixa ingestão de água, baixa ingestão de cálcio dietético e uso de chás de folhas. A maioria não recebeu prescrição do uso de suplementação de ferro e de ácido fólico, e as que utilizaram suplementação de ferro tiveram indicação do uso junto com produtos lácteos. Observou-se que o lanche oferecido para as gestantes nos encontros das atividades apresentavam inadequações, como sucos industrializados, chás de folhas e bolachas doces e recheadas. Assim sendo, ressalta-se a necessidade da inserção do nutricionista nos programas pré-natais e no atendimento interdisciplinar para que todas as áreas da saúde consigam promover saúde materno-infantil com embasamento científico.