Hipertensão arterial sistêmica em crianças e adolescentes do noroeste do estado do Rio Grande do Sul

Volume 1, edição anual - 2012

 


 Proposição de resumo para a

III Jornada de Estudos e III Semana Acadêmica do Curso de Nutrição

TITULO: HIPERTENSÃO ARTERIAL SISTÊMICA EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES NO NOROESTE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL

Autor(es): RE,V.¹ FRANCESCHI, C¹. SANTOS,G.S¹. CENTENARO, S¹. AVILA,C¹. SOUZA, L.S.²

Instituição: ¹Curso de Nutrição UFSM/CESNORS; ² Professora curso de Nutrição UFSM/CESNORS

Palavras chave: hipertensão escolares, adiposidade, avaliação nutricional.

RESUMO

Hipertensão arterial detectada em crianças pode representar o início precoce da hipertensão arterial essencial observada nos adultos. A prevalência varia entre 7,4% a 46,4%. Objetivos: Descrever a prevalência de hipertensão e de fatores de risco para hipertensão em escolares de Palmeira das Missões. Metodologia A amostra foi composta por 288 alunos com idade entre 4 e 19 anos da rede de ensino particular da cidade de Palmeira das Missões no ano de 2011. Os dados antropométricos de peso, estatura, pregas cutâneas, circunferência da cintura, foram mensurados de acordo com as normas da Organização Mundial da Saúde. Pressão Arterial Sistêmica foi medida e classificada conforme as recomendações das VI Diretrizes Brasileiras de Hipertensão Arterial. A classificação foi pelos valores de percentis > 95 e < 99 hipertensão estágio I e > 99 hipertensão estágio II. Aspectos Éticos Todos os participantes/responsáveis assinaram o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. O projeto de pesquisa foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa/UFSM. Resultados Hipertensão estágio I foi detectada em 8,3% (n=24) e hipertensão estágio II em 18,4% (n=53). Entre hipertensão, excesso de peso e percentual de gordura corporal (PGC), observou-se que os indivíduos com hipertensão I, 4,2% (n=1) apresentaram obesidade e PGC alto e aqueles que apresentaram hipertensão estágio II 9,4% (n=5) apresentaram obesidade e PGC alto e 5,7% (n=3) apresentaram obesidade e PGC muito alto. Pela relação entre hipertensão, obesidade central e excesso de peso, observou-se que os indivíduos com hipertensão I e obesidade central, 12,5% (n=3) sobrepeso e 12,5% (n=3) apresentaram obesidade pelo IMC. Dos indivíduos com hipertensão II e obesidade central, 22,6% (n=12) apresentaram sobrepeso e 35,8% (n=19) obesidade.

Conclusão: Os resultados indicam alta prevalência de hipertensão e altos índices dos fatores de risco para hipertensão, principalmente pelo excesso de gordura corporal nessa população.

REFERÊNCIAS

1)Sociedade Brasileira de Cardiologia / Sociedade Brasileira de Hipertensão / Sociedade Brasileira de Nefrologia. VI Diretrizes Brasileiras de Hipertensão. Arq Bras Cardiol 2010; 95(1 supl.1): 1-51.

2) Liang Y, Mi J. Pubertal hypertension is a strong predictor for the risk of adult hypertension. Biomed Environ Sci. 2011.

3) Juonala M, Magnussen CG.Childhood adiposity, adult adiposity, and cardiovascular risk factors. N Engl J Med. 2011 Nov 17;365(20):1876-85.

4) Gomes BM. Prevalência de hipertensão arterial e fatores associados em estudantes de Ensino Médio de escolas públicas da Região Metropolitana do Recife, Pernambuco, Brasil, 2006. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, fevereiro 2009.

5) Adriana A., et al. Prevalence of high blood pressure in children and adolescents from the city of Maceió, Brazil.J Pediatr (Rio J). 2004;80(1):35-40.

6) Thelma Leite de Araújo et al. Análise de indicadores de risco para hipertensão arterial em crianças e adolescentes. Rev Esc Enferm USP 2008; 42(1):120-6.

7) Fabiana Pires Costa; Sandra Helena Machado O consumo de sal e alimentos

2

ricos em sódio pode influenciar na pressão arterial das crianças? Ciênc. saúde coletiva vol.15 supl.1 Rio de Janeiro June 2010.

8) World Health Organization. Physical status: the use and interpretation of anthropometry. Report of a WHO Expert Committee. Geneva: World Health Organization; (WHO Technical Report Series, no. 854), 1995.

9) SLAUGHTER, M.H. et al. Skinfold equations for estimation of body fatness in children and youth. Human Biology. 1988; 60(5): 709-723.

10) LOHMAN, T.G. The use of skinfold to estimate body fatness on children and youth. Journal of Physical Education, Recreation and Dance. 1987; 58: 98-102.

11) McCarthy HD, Jarret KV, Crawley HF. The development of waist circumference percentiles in British children aged 5.0-16.9 anos Eur j Clin Nutr 2001 Oct;55(10):902-7.

12) Staiano AE, Katzmarzyk PT. Ethnic and sex differences in body fat and visceral and subcutaneous adiposity in children and adolescents. Int J Obes (Lond). 2012 Jun 19.

13) Mayor S. Childhood obesity increases blood pressure in adolescence, study shows. BMJ. 2012 May 1;344:e3065.

14) Robespierre Q. C. Ribeiro, et al. Fatores adicionais de risco cardiovascular associados ao excesso de peso em crianças e adolescentes. O Estudo do Coração de Belo Horizonte. Arquivos Brasileiros de Cardiologia - Volume 86, Nº 6, Junho 2006:408-418.